Sudene destina R$ 228,6 milhões para parque eólico no RN

74

Em São Bento do Norte será instalado um parque eólico com cerca de 83,16 MW (megawatts) de capacidade instalada, gerando 300 empregos diretos e 20 indiretos durante todo o processo de implantação do parque

Diretoria Colegiada da Sudene aprovou o financiamento do parque eólico que será implantado no município de São Bento do Norte, administrado pela empresa Ventos de São Fernando IV Energia S/A. O projeto contará com um aporte de R$ 228,6 milhões do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), garantindo o financiamento de 60% do valor total da obra, estimado em R$ 381,1 milhões.

Será instalado um parque eólico com cerca de 83,16 MW (megawatts) de capacidade instalada. A energia produzida será comercializada no Ambiente de Contratação Livre (ACL) – segmento do mercado no qual se realizam as operações de compra e venda de energia elétrica, objeto de contratos bilaterais livremente negociados. Serão gerados 300 empregos diretos e 20 indiretos durante todo o processo de implantação do parque. Quando estiver em plena operação, serão gerados 15 empregos diretos e 10 indiretos. O parque deve entrar em operação a partir de fevereiro de 2021.

De acordo com a Coordenação de Fundos de Desenvolvimento de Financiamento da Sudene, o novo empreendimento integra-se aos objetivos de promoção do desenvolvimento includente e sustentável e enquadra-se nas diretrizes e prioridades espaciais e setoriais para a aplicação dos recursos do Fundo. Segundo Thiago Teles, coordenador de Fundos de Desenvolvimento e de Financiamento da Sudene, o empreendimento é considerado importante para a autarquia.

“A construção deste novo parque eólico enriquece a vocação da Sudene e do FDNE em financiar empreendimentos de geração de energia de fonte limpa e renovável. Em números gerais, já foram contratados 20 projetos de geração de energia eólica que totalizam cerca de R$ 2,625 bilhões em investimentos totais, com participação do FDNE de, aproximadamente, R$ 1,467 bilhões”.

Thiago ainda reforça que o Rio Grande do Norte tem grande potencial para este tipo de empreendimento e que a construção do parque eólico vai garantir o desenvolvimento local. “Além dos empregos diretos e indiretos gerados, a região se beneficiará com a geração de renda, decorrente do arrendamento das terras”. Enfatizou, ainda, que existe a possibilidade de “compartilhar o uso do terreno com outras atividades produtivas, injetando recursos na economia da região”.

Atualmente, o Rio Grande do Norte tem a maior capacidade instalada de usinas eólicas em operação no Brasil, segundo dados divulgados em abril de 2020 pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). De acordo com a Câmara, o estado tem, ao todo, capacidade de gerar 4.450MW de energia e possui 164 usinas em operação, 19 em construção e outros 84 projetos contratados prestes a iniciar suas obras. Seis parques eólicos contam com a parceria da Sudene, quatro em operação e dois sendo construídos.