Missa marca 60 anos de e ordenação sacerdotal de Monsenhor Tércio

114

Nesta sexta-feira (21) completam 60 anos de ordenação sacerdotal de monsenhor AusônioTércio. Uma missa em ação de graças foi celebrada na Igreja de São José para marcar a data festiva.

Ausônio Tércio de Araújo nasceu em Currais Novos, no dia 12 de outubro de 1935. Eram seus pais Ausônio Araújo e Maria Dalila Gomes. Seu pai era funcionário da prefeitura local, exercendo a função de agente fiscal. Foi batizado na matriz de Sant’Ana de Currais Novos, em 16 de novembro de 1935, pelo padre Benedito Basílio Alves e teve como padrinhos Elysio Galvão e Letícia Pereira Galvão.

O jovem Tércio fez seus estudos preliminares no grupo escolar Capitão Mor Galvão com uma professora de nome dona Auta. Em 1947, entrou no seminário Santo Cura d’Ars, em Caicó, tendo como reitor o holandês, da ordem dos lazaristas, padre Geraldo Jacob e, como bispo, Dom José de Medeiros Delgado. Naquela casa de formação sacerdotal fez o curso ginasial, concluído em 1950 e o colegial em 1952. No ano seguinte, 1953, foi para Roma onde freqüentou a Universidade Gregoriana, permanecendo ali até 1960. Na “cidade eterna” fez filosofia e teologia, incluindo o mestrado em ambos os cursos. Encontrava-se em Roma, no ano de 1956, quando recebeu a ingrata notícia da morte de seu pai, vítima de problemas cardíacos.

No dia 2 de fevereiro de 1960 recebeu o presbiterado. Porém, permaneceu em Roma até o final do ano a fim de implementar seus estudos. Ao retornar ao Brasil, naquele ano, a pedido de conterrâneos, adiou por uma semana seu retorno para Currais Novos, tempo suficiente para que fossem feitos, naquela cidade, os preparativos da festa de sua chegada. Diz que permaneceu esse tempo na capital paulista.

Em 1961 ele veio para Caicó e daqui nunca mais saiu. Naquele ano o reitor do seminário era o bispo Dom Manuel Tavares de Araújo, e ele assumiu a vice-reitoria substituindo o padre Itan Pereira, que assumira a direção do Ginásio Diocesano Seridoense (GDS), uma vez que o monsenhor Walfredo Gurgel deixara o GDS para ingressar na política. Também assumiu a capela de São José, hoje paróquia.

Em 1963, assumiu a reitoria do seminário onde também foi professor da cadeira de latim por longos anos. No Ginásio Diocesano, em 1964, Colégio Diocesano, além de eterno diretor, foi professor de religião, história, OSPB e francês. Em 1963, Dom Manuel Tavares fundou a Emissora de Educação Rural de Caicó e ele se eternizou na direção.

Em 1966, no final do ano, o seminário diocesano – onde ele morava, fechou e suas atividades se dividiram entre o Colégio Diocesano, a Emissora e a capela de São José, que naquele ano passou a paróquia, desmembrando-se da catedral de Sant’Ana. Suas atividades religiosas, então, aumentaram porque ficaram sob a jurisdição da paróquia de São José, as capelas de Nossa Senhora das Graças – no Abrigo, Santa Cruz e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Barra Nova e São Pedro e São Paulo, no Walfredo Gurgel.

Em 1974, foi criado em Caicó o Campus Universitário e foram incontáveis as disciplinas ensinadas por ele ao longo desses 30 anos. Metodologia das Ciências, História da Filosofia e Teoria da História foram algumas delas. Mesmo aposentado, continuou ensinando na universidade.

Em 1998, foi fundado o Instituto Cardeal Eugênio Sales, instalado nas dependências do Colégio Diocesano e padre Tércio, que nesta época já havia sido promovido a categoria de monsenhor, assumiu algumas disciplinas nos cursos de Filosofia e Teologia. A tudo isso se inclui o cargo de membro do Conselho Estadual de Educação, função que exige dele sucessivas viagens à Natal.