Produção industrial potiguar aumenta após cinco meses em queda

46

A Sondagem das Indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, revela que, de acordo com a avaliação dos empresários, a produção industrial potiguar voltou a crescer em maio, após cinco meses consecutivos de queda.

O indicador de evolução da produção aumentou de 49,1 para 52,6 pontos, mas este incremento não foi suficiente para estimular o emprego ou reduzir a ociosidade da capacidade produtiva instalada. Todavia, podemos identificar expectativas de crescimento nas compras de matérias-primas e no comportamento da demanda nos próximos seis meses. Com relação aos portes pesquisados, vale ressaltar a persistência da situação crítica das pequenas empresas, que ficaram ainda mais distantes da média da indústria e do desempenho do agrupamento das médias e grandes.

Em comparação com maio de 2018, a maior parte dos indicadores registrou forte crescimento, o que pode ser explicado pelo efeito da greve dos caminhoneiros, ocorrida no período, que praticamente paralisou toda a economia nacional.

O nível médio de utilização da capacidade instalada (UCI) do conjunto da indústria potiguar não se alterou, permanecendo em 69%, e foi considerado pelos empresários consultados como abaixo do padrão usual para meses de maio. O emprego industrial recuou pelo vigésimo mês seguido, embora, desta feita, em ritmo mais suave. Os estoques de produtos finais, por sua vez, voltaram a cair, após registrar acúmulo no mês anterior, e ficaram aquém do planejado.