Confirmando o compromisso social da pesquisa científica, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) integra a Força-Tarefa Brumadinho, iniciativa que visa reunir pesquisadores de todo Brasil para atender às demandas decorrentes do rompimento da barragem na mina do Córrego do Feijão, da mineradora Vale, localizada no município mineiro de Brumadinho.

A Força-Tarefa de Brumadinho é um projeto do Grupo Ecossistema de Inovação Aberta, vinculado ao Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec). De acordo com o pró-reitor de Pesquisa (Propesq) e líder da iniciativa na UFRN, Jorge Tarcísio da Rocha Falcão, a ação nacional entrou em contato com as universidades do país, com uma lista de demandas solicitando o auxílio de pesquisadores de diversas áreas.

Após levantamento interno, 21 pesquisadores da UFRN estão aptos a contribuir em relação à técnica de aquisição de imagens de terreno, processamento de dados em supercomputadores, diagnóstico e análise de risco em barragens, e no atendimento psicossocial das vítimas e das equipes que estão trabalhando na região de Brumadinho.

Ainda segundo Jorge Falcão, a disponibilidade dos cientistas foi enviada à força-tarefa nacional, e os pesquisadores da UFRN aguardam a convocação. “Isso serve para reforçar, dentro da universidade e perante a opinião pública, o compromisso social da pesquisa científica, que não serve somente para alimentar a carreira acadêmica mas também, principalmente, tem a missão de atuar em benefício da população”, considera o pró-reitor.