Um ensaio clínico desenvolvido por pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação (PPGCR), da Faculdade de Ciências do Trairí (Facisa), utilizando neuromodulação em pacientes com dores crônicas da chikungunya, ganhou novo destaque internacional na última semana, com publicação na revista Scientific Reports, do grupo Nature.

O estudo foi desenvolvido pelos professores e fisioterapeutas Rodrigo Pegado e Enio Cacho, que orientaram o aluno de mestrado Edson Silva Filho, com apoio dos pesquisadores Marom Bikson, da City University of New York, Alexandre Okano, da Universidade Federal do ABC (UFABC), e Edgard Morya, do Instituto Santos Dumont (ISD).

De acordo com professor e fisoterapeuta Rodrigo Pegado, a neuromodulação com a técnica de Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC), foi aplicada em pacientes da doença com auxílio de um aparelho sobre o córtex motor primário. O projeto de Estimulação Transcraniana da UFRN em pacientes com a chikungunya é o primeiro a ser realizado no mundo. O resultado principal foi a diminuição das dores na fase crônica da doença. Leia sobre o assunto em matéria especial publicada em abril deste ano no site da UFRN.

Entre 2015 e 2016, a América Latina viveu uma pandemia de arboviroses, incluindo o vírus da chikungunya. Estudos epidemiológicos apontam que aproximadamente 60% dos pacientes que tiveram chikungunya seguem com poliartralgias crônicas (dores que atingem as articulações), que podem perdurar até seis anos. Os pesquisadores sugerem que a ETCC pode ser uma terapia efetiva, barata e aplicável em pacientes que apresentam as dores crônicas da doença. Leia o artigo científico publicado pela  revista Scientific Reports, da Nature, sobre os resultados do ensaio clínico feito pela UFRN.