A vitória dos eleitos neste segundo turno consolidou uma renovação recorde nos cenários políticos dos estados brasileiros. Esta é a primeira vez na história recente do Brasil, desde a redemocratização do país, que o número de reeleições bem-sucedidas para governos estaduais não supera o de reeleições fracassadas.

O segundo turno levou às urnas um total de 115,7 milhões de eleitores, cerca de 1,5 milhão a menos do que no primeiro. Aproximadamente 31 milhões de cidadãos não foram votar. O crescimento da abstenção entre os dois turnos, de 4,5%, foi o menor já registrado no país desde a retomada das eleições presidenciais, em 1989.