TRE-RN reúne juízes eleitorais para tratar das experiências no primeiro turno

    23

    O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) recebeu em sua sede os juízes eleitorais do estado potiguar para serem discutidas as questões pertinentes aos deveres do juiz no processo eleitoral, registrando-se as experiências vivenciadas no primeiro turno das Eleições 2018 e o apontamento das soluções desejadas para agilizar a execução no segundo turno, que ocorre em 28 de outubro deste ano.

    O presidente do TRE-RN, Desembargador Glauber Rêgo, realizou a abertura do evento e registrou a satisfação em reunir os juízes eleitorais. Em sua fala, ele ainda destacou as conquistas positivas da Justiça Eleitoral potiguar no primeiro turno das eleições, como o fato do RN ter sido o primeiro estado do Nordeste a realizar a totalização de votos e o 12º no Brasil. Além disso, o presidente também relembrou a missão da Justiça Eleitoral para com a sociedade. “Temos a missão de assegurar a segurança e organização da liberdade no exercício do direito do voto. Não apenas isso, temos a atribuição de garantir que o processo eleitoral obedeça às exigências de ordem normativa e siga base moral e ética compatível com os valores da probidade e da lisura”, afirmou.

    Glauber Rêgo também utilizou a reunião para informar que pretende contar com a mesma estrutura de segurança do primeiro no segundo turno. E, para isso, os juízes eleitorais foram mais uma vez questionados sobre a necessidade ou não de tropas federais. No primeiro turno, 97 municípios foram atendidos com as tropas federais, mas neste segundo, por se tratar de um turno mais simples e tranquilo, serão solicitadas tropas apenas para 72 municípios do RN, em conformidade com a demanda relatada pelos juízes. O pedido segue para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que seja autorizado o envio do exército. No mais, as forças estadual e municipal (guarda municipal) serão mantidas.

    Ao longo da tarde, foram realizadas explanações sobre temáticas envolvendo o dia da votação. A Procuradora Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), Cibele Benevides, trouxe explicações sobre fake news e destacou as orientações gerais sobre esse assunto. Falaram também quatro juízes eleitorais: Gustavo Bezerra (3ª ZE), juiz no maior Colégio Eleitoral do Estado, responsável pelo Poder de Polícia em matéria eleitoral na Capital, Mark Clark Andrade (27ª ZE), juiz responsável pelo município de Jucurutu, onde foi registrado o último voto do estado no dia 07; Rainel Pereira Filho, juiz da 15ª ZE, a qual é responsável pelo município deSão José do Campestre, local onde foi realizada a eleição simulada e também foi o primeiro município do RN a encaminhar os arquivos para totalização dos votos no dia do pleito.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui